Blog

28
jan

6 diferenças entre trabalhar em uma Startup e uma empresa tradicional

startup

Você certamente já parou para pensar sobre o seu futuro profissional e dentre os diversos  questionamentos que surgem, há o dilema entre trabalhar em uma startup ou em uma  empresa tradicional.

 Primeiramente, vamos esclarecer o que é startup: uma startup é definida como um grupo de  pessoas que estão em busca de um modelo de negócios que seja sustentavel, repetível e  escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza. Apenas nessa definição já é  possível identificar suas particularidades, como cenário de dúvidas, busca por geração de  valor, entre outras. Eric Reis, em seu livro Lean Startup, faz a seguinte definição: “A  startup is a human institution designed to deliver a new product or service under  conditions of extreme uncertainty.”

 Cada vez mais jovens estão em busca de empregos mais dinâmicos e desafiadores, fazendo  com que os programas trainee tradicionais de grandes empresas se tornem segunda opção e  com que a procura por vagas de emprego em startups seja cada vez maior. Para facilitar esse processo de tomada de decisão, resolvemos falar sobre seis diferenças entre trabalhar em uma startup e uma empresa tradicional.

Participação nas Decisões

Como o mercado tecnológico passa por constantes mudanças, as startups precisam acompanhar este ritmo. O posicionamento e a estratégia das startups costumam passar por reformulações inúmeras vezes, sobretudo nos três primeiros anos de operação. Sendo assim, um funcionário de uma startup está criando e inovando o tempo todo na empresa, já que não existem processos definidos. Uma semana em uma startup é igual a uma montanha russa.

Em empresas convencionais e mais antigas muitas vezes os processos já estão bem definidos e engessados e basta ao funcionário executá-los, muitas vezes tendo dificuldades em inovar e criar novos projetos dentro da organização.

Maiores riscos

Em contrapartida à inovação e dinamicidade, nas startups os riscos são muito mais altos. É preciso uma grande dose de investimento para que a ideia sobreviva em uma mercado altamente competitivo. A instabilidade nesse tipo de empresa costuma ser ainda maior do que nas outras empresas. Reter ou demitir colaboradores nesse ambiente é uma decisão que depende do direcionamento escolhido para o negócio. De acordo com a Aceleradora, empresa mineira que apoia e investe na criação de startups, nove em cada dez startups fecham antes de dois anos de existência. Já nas empresas convencionais arrisca-se muito menos e há uma maior estabilidade.

Flexibilidade de Horário

Em uma startup costuma haver flexibilidade de horários para os funcionários, pois o que realmente importa são os resultados. Mesmo assim, muitos funcionários acabam se doando e se dedicando muito mais à empresa por se sentirem parte dela, e quererem cada vez melhores resultados e que ela cresça cada vez mais. O lado ruim é que pessoas que gostam de trabalhar com rotina, trabalhando sempre nos mesmos horários e fazendo sempre as mesmas tarefas podem se decepcionar um pouco com este sistema, tendo mais aptidão para trabalhar em empresas tradicionais.

Escassez de Recursos

Startups normalmente contam com poucos recursos: sejam financeiros ou humanos. Apesar dessas limitações, a cobrança por resultados é grande, principalmente por parte dos investidores. O profissional de uma startup precisa ser muito resistente a pressões e frustrações. Por outro lado, quando a startup começa a colher os seus frutos, os resultados começam a se tornar cada vez mais relevante, e o crescimento se torna exorbitante, na faixa de 200% ao ano. Uma empresa convencional muitas vezes possui muito mais recursos, porém, cresce a taxas muito menores que as startups.

Ambiente de Trabalho

Ficar de meias ou descalço, vestindo roupas leves e de verão, podendo jogar sinuca, ping pong, videogame, e muitas vezes beber uma cerveja nos dias quentes: esse cenário não parece com o de um ambiente de trabalho, não é? Porém, é assim que comumente funcionam as startups, e é o que faz muitos jovens que procuram um mercado de trabalho com cada vez menos formalidades apostarem nessas empresas. Em empresas tradicionais, o ambiente de trabalho costuma ser muito mais formal, onde muitas vezes pede-se traje social, vocabulário formal e seus códigos de cultura são munidos de regras.

Crescimento e Liderança

Todos os dias, o profissional de startup aprende novas coisas, participa de processos e práticas diferenciadas. Cada nova mudança é uma oportunidade de aprendizado. Todo esse aprendizado é transformado em desenvolvimento para o profissional, que passa a desenvolver papel de líder e a se destacar cada vez mais no mercado de trabalho. Em uma startup, as chances de um profissional crescer e vir a se tornar um líder são muito grandes e muito breves, pois tudo acontece em uma velocidade muito alta. É claro que em empresas mais tradicionais também existe muito aprendizado e desenvolvimento mas, muitas vezes, os frutos demoram anos para vir.

Fatos que todo universitário precisa saber sobre startups

Escrito por Heloisa Marcineiro
heloisa.marcineiro@resultadosdigitais.com.br

Leave a Reply